Pesquisa personalizada

domingo, 13 de março de 2011

Morfema

Morfema integra a palavra e é uma unidade mínima dotada de significado. Para reconhecer um morfema temos que levar em consideração o seu significado. Se analisarmos as palavras gato, gatos e gatinho, podemos, facilmente depreender que o elemento comum é -gat e como elementos distintivos temos –o, -os, -inho. As unidades –o, -os, -inho indicam respectivamente singular, plural e diminutivo, todos do gênero masculino. Podemos dizer que  neste caso, ao que diz respeito à ordem, temos morfema lexical e gramatical.
Morfema lexical representa uma significação referente as noções gerais do léxico (ações, designação de seres, conceitos), ou seja, representa a significação externa das palavras. Nos exemplos estudar, estudioso, estudante encontramos facilmente o morfema lexical –estud.
Morfema gramatical representa a significação interna das palavras. Este tipo de morfema é portador de um conteúdo gramatical (gênero, número, afixos, etc.). São as flexões e por esse motivo pode também ser chamado de morfema flexional. Nas palavras casa, casinha, casarão, temos –a, -inha e –arão identificados como morfemas gramaticais.
Voltando ao exemplo do início do texto, gato, gatos, gatinho , o morfema lexical –gat permanece o mesmo e os morfemas gramaticais variam de acordo com a significação específica que atribuem à palavra.
As palavras são estruturalizadas pelos morfemas derivacionais e flexionais. No derivacional novos lexemas são criados a partir de uma base que também é lexical. Flexional é aquele que conserva a palavra numa determinada classe de palavras, é flexionada de acordo com o contexto.
Quanto ao aspecto formal das palavras existem os vários tipos de morfemas: aditivo, reduplicativo, alternativo, zero, subtrativo.
Morfema aditivos ocorre por acréscimo de afixação, que são formas presas por excelência, à raiz. Os afixos são classificados de acordo com sua posição na raiz, são eles: prefixo (vem antes dela. Exemplo: desleal) ; sufixo (depois dela. Exemplo: perdição); infixo (intercalação no interior da base. Exemplo: glorificar); circunfixo (posiciona-se antes e depois da raiz simultaneamente. Exemplo: esclarecimento) ; suprafixo; transfixo.
Morfema reduplicativo nada mais é que a repetição de uma parte o de toda a raiz, no apinajé tak  ‘bater’ = tatak ‘batucar com os dedos’. Morfema alternativo ocorre na mudança da estrutura fônica da raiz, como no inglês read ‘ler’ = read  passado simples de ler, onde somente a pronuncia é alterada para dar outro significado.
O morfema zero é a ausência de uma marca de oposição gramatical, na palavra leitora quando tem a falta do morfema gramatical –a outro significado surge leitor. O morfema subtrativo consiste na mudança do radical para marcar outro traço gramatical, no francês ‘baixo’ tem como masculino bas e feminino basse .

2 comentários: